Portal do Beneficiário Área do Credenciado

16/11/2022 15:01

Novembro Roxo: 6 fatos sobre prematuridade e cuidados especiais com esses bebês

A cada dois minutos nasce, aqui no Brasil, um bebê prematuro, que ainda não completou 37 semanas de gestação. Isso dá, em média, 340 mil nascimentos pré-termo por ano, o que nos coloca na 10ª posição entre as nações que mais registram casos de prematuridade, com cerca de 12% dos bebês vindo ao mundo antes de completarem o mínimo necessário de semanas para pleno desenvolvimento fetal.

Esses dados do Ministério da Saúde reforçam a necessidade de falarmos sobre prevenção do nascimento prematuro e cuidados com bebês biologicamente mais vulneráveis aos fatores externos, que demandam um acompanhamento diferenciado para desenvolverem habilidades cognitivas, comportamentais e motoras.

Pensando nisso, separamos seis fatos sobre prematuridade:

1) O pré-natal contribui para a redução do risco de prematuridade

O acompanhamento realizado no pré-natal, por meio de exames clínicos e laboratoriais, permite a prevenção ou detecção precoce de patologias, tanto da gestante quanto do bebê, como pré-eclâmpsia ou más-formações em fases iniciais. Segundo o Ministério da Saúde, esse acompanhamento pode evitar o nascimento do bebê antes do tempo previsto. Além disso, dados do órgão apontam que 55% dos óbitos infantis poderiam ser evitados a partir da atenção à gestação, ao parto e ao recém-nascido.

Saiba mais sobre o pré-natal.

2) O contato pele a pele estimula o desenvolvimento do bebê prematuro

Estabelecer vínculos afetivos é um fator essencial para o desenvolvimento físico, emocional e social não apenas do bebê que nasceu antes da hora, mas da criança ao longo de toda a infância. Por isso, é incentivado o contato direto, pele a pele, com os pais. Enquanto o prematuro estiver internado no hospital, isso pode ser feito durante os horários de visita, desde que a condição de saúde do bebê permita. O ato de amamentar é outra oportunidade para formar esse vínculo entre a mãe e filho.

3) Bebês prematuros têm dificuldade de manter a temperatura corporal

É importante estar atento à temperatura corporal de um bebê prematuro e mantê-lo sempre bem aquecido. Se a pele estiver fria, abaixo de 36ºC, com manchas ou extremidades – dedinhos, lábios etc. – com coloração roxa, uma dica é colocar o bebê diretamente no colo da mãe ou do pai, sem roupas e apenas com a fralda, para que o contato pele a pele ajude a regular a temperatura.

4) O leite materno é o alimento mais nutritivo e o melhor aliado para proteger o bebê de infecções e alergias

Se tem uma característica bem peculiar do prematuro é a quantidade de vezes que ele precisa mamar ao longo do dia e da noite para conseguir se desenvolver nos primeiros meses de vida. O número pode variar de 8 a 12 vezes, com a mamada durando em torno de 10 a 20 minutos em cada peito. No começo, pode ser necessário acordar o bebê dorminhoco que está sem se alimentar por mais de quatro horas, ou então retirar ele do peito para que descanse um pouco, arrote e lembre-se de respirar enquanto mama. Caso o bebê tenha dificuldade em sugar, a sugestão é ordenhar o leite materno e oferecer em um copinho ou colher, evitando uso de mamadeira.

5) A frequência dos banhos depende do peso do bebê

Outra dúvida que sempre surge é sobre a higiene: isso depende da maturidade do bebê prematuro. Até 1,5 kg, recomendam-se banhos em dias alternados. A partir desse peso o banho pode passar a ser diário.

6) O crescimento e desenvolvimento são avaliados com base na idade corrigida

O desenvolvimento do bebê prematuro é acompanhado durante alguns anos com base na idade corrigida: a idade que ele teria se tivesse nascido com 40 semanas. Essa idade corrigida é utilizada como parâmetro durante 2 ou 3 anos de vida da criança, dependendo da quantidade de semanas que fizeram sua grande estreia no mundo.

Saiba mais

Confira mais informações e dicas na cartilha ‘Cuidados com o bebê prematuro’, do Ministério da Saúde, e nas notícias do órgão federal sobre prematuridade.

Ver todas as notícias
Whatsapp

Inscreva-se para receber notificações!

Quer receber as últimas notícias da Saúde Petrobras?