Portal do Beneficiário

06/07/2021 11:36

4 fatores que levaram ao aumento da contribuição em 2021

Consultou seu extrato recentemente e ficou na dúvida sobre os descontos do plano de saúde, maiores em relação ao ano passado? Quatro fatores explicam o aumento da contribuição a partir de 2021. De mudanças previstas no nosso regulamento e no Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) ao reajuste anual praticado para manutenção da relação de custeio (60x40 em 2021), as novas definições contribuem para a garantia da qualidade e sustentabilidade do nosso benefício.

ENTENDA O QUE MOTIVOU CADA MUDANÇA:

1 - Nova tabela de mensalidade para cobertura do grande risco

Uma nova tabela para a contribuição mensal de grande risco entrou em vigor em janeiro de 2021. A nova tabela, amplamente divulgada na negociação do ACT 2020-2022, se baseia em cálculos atuariais que mensuram com clareza a relação da idade do beneficiário com o custo do benefício.

A contribuição ajustada assegura a sustentabilidade e a qualidade do plano, levando em conta também a faixa de renda do beneficiário.

No caso dos aposentados, o desconto leva em conta a soma das remunerações Petros e INSS.

2 - Aumento da margem consignável de 13% para 30%

Para todos os beneficiários, em todas as faixas de idade, existe o conceito de margem consignável. Trata-se de um percentual limite que o plano de saúde pode descontar da remuneração do titular por mês. Caso as despesas ultrapassem esse teto, passam a integrar o saldo devedor, para serem descontadas nos meses seguintes.

Até o final de 2020, a margem consignável era de 13% sobre os rendimentos líquidos. Em 2021, aumentou para 30%, conforme previsto no ACT. Essa mudança teve como objetivo reduzir o risco de equacionamento do déficit, o que pode acontecer uma vez que nosso plano de saúde funciona como um condomínio.

Alguns pontos de atenção são as situações em que a margem consignável não se aplica, como gastos com o Benefício Farmácia, despesas de beneficiários incluídos por determinação judicial e despesas de pequeno risco para beneficiários do plano 28 anos.

Confira um exemplo:

4FatoresAumento_miolo02.jpg

3 - Aumento do percentual de participação do beneficiário, de 30% para 40%

Em nosso regulamento, é possível conferir as formas de participação para custeio do plano. Até 2020, a contribuição do titular era fixada em 30%, passando para 40% em 2021.

A mudança para a proporção 60 (patrocinadoras) x 40 (beneficiários) foi estabelecida no último ACT, assinado em outubro de 2020 e vigente até 2022.

4FatoresAumento__miolo03.png

4 – Reajuste da tabela de grande risco de acordo com a VCMH

A partir de março, a nova tabela de grande risco teve seus valores reajustados, levando em consideração o índice de Variação de Custo Médico-Hospitalar (VCMH). Esse reajuste acontece anualmente, conforme previsto no regulamento, e acompanha a inflação do setor de saúde, de forma a manter a sustentabilidade financeira do plano e a relação de custeio 60x40. Em 2021, o reajuste foi de 12,5%.

Dessa forma, conseguimos arcar com todos os custos e continuar proporcionando os melhores serviços, tendo em vista a variação de preços de exames, consultas, terapias, internações e serviços ambulatoriais.

Confira aqui a tabela atual de grande risco atual.

Ver todas as notícias
Whatsapp